CULTURA 2024

Fellow Travelers

Ana Ferreira

16 de Julho de 2024

A minissérie Fellow Travelers estreou em 2023 e conta com a participação de Matt Bomer de “Normal Heart”, aqui apresentado recentemente e Jonathan Bailey, nos papéis principais. A série é baseada no livro homónimo de Thomas Mallon, escrito em 2007, e conta a história envolvente entre dois homens, numa fase política conturbada dos Estados Unidos da América.

A história inicia-se após a segunda guerra mundial, durante uma acentuada repressão política aos comunistas, aliada a uma campanha de medo relativa à espionagem por agentes da União Soviética. Esta campanha foi promovida inicialmente pelo Senador republicano Joseph McCarthy, do Wisconsin, e passou a ser denominado como o macarthismo.

A homossexualidade era motivo de perseguição nos Estados Unidos da América, dado que apenas alguns estados começaram a descriminalizar a homossexualidade a partir de 1962, e somente em 2003 é que se estendeu a todo o país.

A série pode ser visualizada na Skyshowtime e creio que também na Prime Video, mas é uma questão de confirmarem se tiverem algum destes serviços ou fazerem uma pesquisa. Podem sempre tentar encomendar o livro na versão original, o que é sempre uma boa opção. Livro

Blue Kida

Ana Ferreira

08 de Julho de 2024

Não era este o documento que estava preparado para hoje, mas achei de tal forma curioso que vou antecipar e partilhar nesta segunda-feira, após a marcha do orgulho de Lisboa, que levou às ruas milhares de pessoas, que celebraram a diversidade das suas existências e os direitos humanos.

Vivemos num mundo em constante mudança, e não são só as nossas placas tectónicas, os nossos rios, as nossas montanhas que mudam, a paisagem que vemos todos os dias está em constante transformação.

Porque é tão difícil perceber que os corpos estão em constante transformação, sentir, viver, experienciar, é transformar-se. O que aprendemos, sentimos ao longo da nossa vivência, transforma-nos enquanto seres, adquirimos hábitos, perdemos outros, choramos, rimos, somos seres em constante mudança.

Aurora, artista multidisciplinar, performer/bailarina, música/produtora, atriz e modelo, toca em cada pessoa de uma forma diferente, mas faz-nos questionar, e esse questionamento é o mais importante de tudo.

Pode um desejo imenso

Ana Ferreira

01 de Julho de 2024

Os livros surpresa são sempre os melhores, aqueles que compramos na incógnita do que iremos enfrentar. Frederico Lourenço surpreende por tudo, sinceramente, pelo menos a mim que desconhecia, quem estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, talvez já tenha outra visão, pois talvez não seja assim tão desconhecido.

 “Pode um desejo imenso” foi escrito em 2002 e eis que vinte anos depois a editora Quetzal o traz de volta. Num embrenhar de Camões, Frederico Lourenço, conta-nos a história de Nuno Galvão, professor universitário que se apaixona por um aluno.

Saltamos no tempo, e viajamos pela estória de Nuno, pelo seu percurso académico e o que o levou até aquele gabinete em Lisboa. Um romance envolvente, com uma narrativa fabulosa, e não se deixem assustar pelo tamanho do livro, se forem susceptíveis à quantidade de páginas, pois vale a pena cada uma.

Pride

Ana Ferreira

28 de Junho de 2024

Assinalam-se 55 anos da Revolta de Stonewall! Trazemos um filme baseado em factos verídicos de lutas, não de Stonewall, mas da Greve dos Mineiros Britânicos de 1984. Creio que agora suscitei a vossa curiosidade! Estamos no mês do Pride e por isso é importante dar espaço às diversas lutas!

Em 1984, durante o governo de Margaret Tatcher no reino Unido, os mineiros decidem entrar em greve, devido às más condições laborais. Mas como as famílias começaram a passar necessidades, um grupo de ativistas homossexuais começou a trabalhar para arrecadar dinheiro para ajudar. [Lesbians and Gays Support the Miners (LGSM)]

A União Nacional dos Mineiros colocou muitos entraves à proveniência do dinheiro, devido ao estigma e preconceito. Por mais que necessitassem da ajuda, recebê-la da LGSM deixava-os desconfortáveis. O filme que ganhou o Queer Palm em 214 e que foi aplaudido de pé no Festival de de Cinema de Cannes do mesmo ano, relata a luta de quem quis ajudar que necessitava de ajuda e a luta de quem precisava dela.

A interseccionalidade é algo que está sempre presente na vida das pessoas, porque estas não são apenas a sua orientação sexual, identidade e expressão de género ou características sexuais. As lutas são diversas, bem como, as famílias, aquelas onde se nascem e as que se criam ao longo da vida.

LGSM – Who we are

Mary & George

Ana Ferreira

17 de Junho de 2024

Com a brilhante interpretação de Julianne Moore e Nicholas Galitzine, Mary & George estreou este ano para nos maravilhar. Baseada no livro do jornalista Benjamin Woolley, “The King’s Assassin” (2017), esta minissérie embrenha-nos no caso amoroso de Jaime, rei da Escócia e Inglaterra e George Villiers, 1º Duque de Buckingham.

Recentemente vimos Nicholas na adaptação para o cinema de “Vermelho, Branco e Sangue Azul”, no papel do príncipe Henry, por isso não estranhamos vê-lo rodeado de realeza ainda que recuando alguns séculos. Julianne More, interpreta o papel de Mary, sua mãe que tenta a todo o custo proteger a sua família e fará de tudo para que as suas metas sejam atingidas.

George cresce sob a alçada da mãe, dos golpes e mistérios e apesar de nem sempre concordar com a forma como esta lida com as situações, agarra tudo o que as tramas da mãe lhe proporcionam, pois também ele almeja um futuro diferente.

Confissões de um rapaz

Ana Ferreira

11 de Junho de 2024

Davi é tímido, nerd e acha que está apaixonado! Confissões de um rapaz é o segundo volume da triologia Confissões de Thalita Rebouças e esta história promete muita astrologia.

O novo ano letivo arrancou e Davi contínua tímido, mas desta vez está decidido a enfrentar os seus medos e receios, e a tentar ultrapassar os desafios que a vida lhe coloca à frente.

A família e a astrologia são a sua vida e encontra nos seus amigos o suporte para ultrapassar os dias na escola, mas a chegada de novas pessoas ao seu círculo de amizades vai romper a estabilidade até então criada.

Normal Heart

Ana Ferreira

03 de Junho de 2024

Para que nunca se esqueça é sempre bom lembrar. The Normal Heart, um filme com um elenco fabuloso que estreou em 2014 e que decorre durante o auge da pandemia da SIDA.

Dirigido por Ryan Murphy (Pose e Hollywood) e escrito por Larry Kramer, o filme é baseado na peça teatral de 1985 com o mesmo nome. Normal Heart conta com nomes como Mark Ruffalo, Julia Roberts, Matt Bomer, Taylor Kitsch, Jim Parsons, Alfred Molina, Jonathan Groff, e Joe Mantello.

Ned (Mark Ruffalo) e Emma (Julia Roberts) lutam numa América carrega de preconceito, conceitos pré-concebidos, ignorância e medo para combater uma doença que começou a dizimar todos os homens homossexuais que ambos conheciam. Infelizmente terão pela frente muitos muros e portas fechadas, tal como decorreu na realidade na década de oitenta e tantas vezes acontece nos dias de hoje.

Num contexto político-social que Portugal e toda a Europa atravessam é sempre bom lembrar a história, o que ela nos conta e nos traz, e não esquecer as lutas que existiram, e sobretudo as que existem, porque nada é para sempre, muito menos os direitos.

No meu Bairro

Ana Ferreira

01 de Junho de 2024

Assinalamos hoje o Dia da Criança e resolvemos trazer algo especial que tanto gosto nos deu ler. “No meu Bairro” da autoria de Lúcia Vicente, com ilustrações de Tiago M. é uma obra-prima sobre Diversidade e Inclusão, que entretanto já saiu do papel e se estreia hoje em peça de teatro.

São diversas as personagens sobre quem se fala neste livro e as suas histórias, são as de muitas crianças. O livro inclui um capítulo final com algumas explicações sobre conceitos presentes ao longo das histórias, sites que podem ser consultados sobre entidades em Portugal que trabalham estas questões, ou outros livros sobre as temáticas aqui abordadas.

Na zona de Lisboa o espetáculo já começou e pode ser visto nas seguintes datas:

1 Junho – Casa dos Direitos Sociais, Lisboa (11:30)

2 Junho – Casa dos Direitos Sociais, Lisboa (16:00)

9 Junho – Teatro Ibisco, Loures (16:00)

22 Junho – Biblioteca de Marvila, Lisboa (15:00)

Poderão também assistir à Leitura encenada do livro, no dia 8 de Junho pelas 11:30 na Feira do Livro – espaço Penguin, Lisboa

Destransição, Baby

Ana Ferreira

27 de Maio de 2024

Destransição, Baby, é um navegar sobre questões raramente colocadas e muitas vezes silenciadas. Estreou no nosso país em 2023, três anos depois do seu lançamento, pelo que tive de aguardar algum tempo pela sua tradução.

Torrey traz até nós a história de três pessoas e a forma como as experiências, vivências, desejos e formas de existir de cada uma destas pessoas afecta as outras. Num mundo cheio de regras, conceitos pré-concebidos, preconceitos, estigmas, fobias, nem sempre a capacidade humana prevalece.

Tive vários sentimentos ao longo do livro, por isso deixo ao vosso critério a avaliação do mesmo, mas não deixou de me surpreender. São várias as questões que se levantam, porque os sentimentos não são estanques e a vida de cada pessoa não tem de ser definida pelas imposições e construções da sociedade. É preciso cada vez mais falar, conversar e dialogar, mas acima de tudo ter a capacidade de ouvir.

Dallas Buyers Club

Ana Ferreira

20 de Maio de 2024

Com duas interpretações sublimes, Dallas Buyers Club é a representação de uma época de incompreensão, discriminação e preconceito. Lançado em 2013, o filme dirigido por Jean-Marc Vallée (Big Little Lies), conta com a presença de Matthew McConaughey e Jared Leto (cujo papel foi criado a partir de entrevistas na década de noventa com pacientes trans com SIDA, ativistas e médicos).

O filme é baseado na história de Ron Woodroof, um eletricista heterossexual de Dallas, que foi diagnosticado com SIDA, na década de 80 nos Estados Unidos da América. O prognóstico foi de apenas alguns meses de vida, mas Woodroof, interpretado por McConaughey, recusa-se a aceitar e, procura tratamentos alternativos.

A sua procura por medicamentos alternativos leva-o a um confronto com a Food and Drug Administration (FDA) Americana, pois tudo o que não são medicamentos aprovados por esta são considerados drogas ilegais.

Uma história de perseverança fantástica, que descreve a vivência e conta a história não só de Woodroof, mas de todas as pessoas diagnosticadas com SIDA/HIV durante a década de 80/90 e que sofreram com o preconceito, discriminação e a desumanização.

Teodorico e as Mães Cegonhas

Ana Ferreira

15 de Maio de 2024

No Dia Internacional da Família trazemos uma história sobre… família, como não podia deixar de ser. Estávamos a guardar este livro para o Dia da Criança, mas acreditamos que se enquadre muito melhor no dia de hoje. Por aqui somos fãs dos livros de Ana Zanatti, que vamos colecionando à medida que os encontramos e tropecei nesta 1ª edição antes da pandemia e não resisti.

Lançado em 2011, Teodorico e as Mães Cegonhas traz-nos uma história sobre família, porque as famílias podem ser diversas, e esta tem duas cegonhas! De uma forma simples Ana Zanatti descreve a família como o acto de cuidar, educar, proteger, acarinhar e amar.

As famílias podem ser de diversas formas, ser aquelas onde nascemos, ser aquelas que nos escolhem, ser aquelas que escolhemos. Existem múltiplas formas de existirem e serem. E é essa diversidade que nos faz evoluir, perceber que não podemos ficar eternamente à volta de conceitos desatualizados e desprendidos de uma realidade que não existe e que é castradora da diversidade humana.

Estudo Nacional sobre necessidades das pessoas LGBTI e sobre a discriminação

Ana Ferreira

13 de Maio de 2024

Há dois anos era publicado o Estudo nacional sobre Necessidades das pessoas LGBTI e sobre discriminação em razão da orientação sexual, identidade e expressão de género e características sexuais. O estudo é da autoria de Sandra Saleiro, Nélson Ramalho, Moisés Menezes e Jorge Gato e foi lançado pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

O estudo incide no que são as reais necessidades das pessoas LGBTI e até que ponto é que as respostas que existem no nosso país serão as mais adequadas. As leis que possuímos em matérias de direitos humanos são das mais avançadas em termos de direitos LGBTI, mas até que ponto elas se refletem no dia-a-dia das pessoas LGBTI. Este estudo é um trabalho de pesquisa extenso, onde foram ouvidas instituições, estruturas de atendimento, organizações e coletivos, que trabalham direta e indiretamente com a população LGBTI.

Dois anos depois as recomendações apresentadas no estudo estão longe de ser aplicadas, e é necessário trabalhar cada vez mais em conjunto para que essas alterações positivas que visam a melhoria das condições de vida das pessoas LGBTI sejam alcançadas.

Na próxima sexta-feira assinala-se o Dia Internacional contra as LGBTI+ fobias e nós por cá iremos hastear a bandeira LGBTI+ no edifício do Teatro Viriato pelas 9h com o apoio do Município de Viseu. No sábado dia 18 teremos um convívio no EmDireita bar entre as 18h e as 23h com entrada gratuita. Ver evento!

A Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação do Porto tem todo um programa maravilhoso que começa no dia 15, com a apresentação do projeto “Fora da Caixa, Diferentes Famílias, o Mesmo Amor” produção da It Gets Better Portugal. Na sexta dia 17 de Maio será lançado o Manual de Intervenção Psicológica com Pessoas LGBTQIA+ da autoria de Jorge Gato na FPCEUP. Ver evento! E também no Norte, em Vila Nova de Gaia, no dia 17 irá decorrer o II Forúm Nacional IDAHOT, que começa às 14h. A participação no fórum é gratuita mas requer inscrição. II Fórum Nacional IDAHOT – Iniciativas Nacionais (cig.gov.pt)

Para quem estiver por Lisboa, terá todo um dia fora de portas com a iniciativa Arco-Íris no Jardim, numa parceria de várias entidades a partir das 10h no Jardim do Príncipe Real Arco-Íris no Jardim 2024 | ILGA Portugal (ilga-portugal.pt)

Documentação – CIG

Gayme Changer

Ana Ferreira

06 de Maio de 2024

Gayme Changer é uma abordagem curiosa sobre o mundo empresarial e a sua relação com as questões LGBTI+ em termos de diversidade e inclusão. “Como a Comunidade LGBT+ e os seus Aliados estão a mudar a economia Mundial” é a frase com que este livro de Jens Schadendorf se apresenta e nos faz questionar até que ponto o uso da palavra minorias continua a fazer sentido quando nos referimos à população LGBTI+.

A visão redutora que muitas vezes cada pessoa tem de si mesma e das suas capacidades, bem como, o estigma que a sociedade impõe à orientação sexual, expressão e identidade de género ou características sexuais de cada pessoa, tem de ser quebrada e de existir uma expansão dos horizontes do que é efectivamente ser LGBTI+.

A heterossexualidade é apenas mais uma orientação sexual e as diferentes identidades de género e características sexuais sempre existiram, independentemente, da atribuição de nomes que por vezes possam vir a ter com a atualização de conceitos.

Trabalhar isoladamente não promove o progresso e a desconstrução de mitos e estigmas, e as empresas são uma peça indispensável neste puzzle de mudança e evolução, em termos de questões LGBTI+.   

O livro possui um capítulo dedicado exclusivamente a Portugal, na tradução portuguesa, onde fala de diversas empresas e a sua abordagem em termos de Diversidade e Inclusão, bem como, de algumas organizações LGBTI+ portuguesas.

As Mães são Tudo

Ana Ferreira

03 de Maio de 2024

Uma surpresa fabulosa que desencaixotei esta semana e que partilhamos com vocês neste especial de Cultura. Aproxima-se o primeiro fim-de-semana de Maio, em que se celebra o dia da Mãe, que como consideramos pouco inclusivo, preferimos usar o Dia das pessoas que Criam pessoas!

As Mães são Tudo é um livro infantil, escrito em 2022 por Sara Ellis e pela companheira Kristen Ellis-Henderson e foi lançado recentemente pela ASA em Portugal. O livro descreve a diversidade do que podem ser as famílias, de uma forma tão simples e fabulosa que fazem derreter qualquer ser humano.

É fabuloso folhear e ler o livro e, perceber que mesmo em tempos conturbados, que ameaçam os direitos e a liberdade, existem momentos tão ricos e enriquecedores como este.

God’s Own Country

Ana Ferreira

29 de Abril de 2024

Existem coisas que nos marcam pela sua beleza, God’s Own Country é um exemplo disso. Escrito e dirigido por Francis Lee (Amonite), estreou em 2017 e tem uma fotografia espantosa, para além da história claro.

Conta com a interpretação sempre brilhante de Josh O’Connor (The Crown) e Alec Secăreanu (Amonite). Johnny é um jovem criador de ovelhas, que vive no Yorkshire, no norte de Inglaterra e mora com a família. O ritmo diário do seu trabalho é bastante solitário e ele acaba por descarregar a sua frustração no álcool.

Mas a sua vida está prestes a mudar porque o seu pai contrata Gheorghe, um imigrante romeno, para ajudar Johnny na fazenda, e a vinda desta pessoa irá alterar as rotinas de Johnny e despertar sentimentos e emoções que ele nunca teve antes.

Mulher Vida Liberdade

Cláudia Soares

23 de Abril de 2024

Marjane Satrapi presenteia-nos mais uma vez com uma obra-prima em formato de novela gráfica, chamada Mulher Vida Liberdade. A autora de Presépolis traz-nos a história de Mahsa Amini e do movimento feminista no Irão. Marjane Satrapi reuniu vários especialistas de banda desenhada, historiadores, politólogos e jornalistas para retratar esta realidade.

Em setembro de 2022 Mahsa Amini foi violentamente espancada pela polícia de costumes Iraniana por, alegadamente, não estar a utilizar correctamente o véu. Amini não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer na sequência deste incidente.

É sobre os protestos desencadeados pela morte de Amini, que resultaram no maior movimento feminista contra a repressão vivida pelas mulheres iranianas, que nos fala este livro.

Mulher Vida Liberdade, foi o slogan utilizado nesta revolta apoiada, pela primeira vez, por pessoas do género masculino, que desafiaram o regime islâmico no Irão em manifestações onde várias mulheres retiraram e queimaram o véu como protesto. Durante estas manifestações as autoridades iranianas responderam com força ilegal disparando, munições reais, e usando gás lacrimogéneo contra a multidão que se manifestou, em grande parte, de forma pacífica, resultando na mutilação e morte de centenas de manifestantes incluindo crianças.

Segundo a Amnistia Internacional, em 2022 existiam 55 países que previam a pena de morte na sua legislação, nomeadamente o Irão.

Guia para Lésbicas num Colégio Católico

Ana Ferreira

22 de Abril de 2024

Quem vê este título nas montras das livrarias ou nas estantes das mesmas pode até julgar que vai aprender como sobreviver num colégio católico, mas atenção que esta história é única! Não sei se Sonora Reyes sabe o impacto que ter a palavra Lésbicas na capa de um livro tem, mas em Viseu chocou alguns olhos porque as mentes mais conservadoras não conseguem conceber que se possa falar de orientações sexuais sem ser à porta fechada.

Esta história tem de tudo um pouco, questões LGBTI+, racismo, xenofobia, imigração, religião, saúde mental, bullying, relações familiares e provavelmente vou-me esquecer de algo mas fico por aqui.

Yami é uma rapariga de origem mexicana que vai ingressar num colégio católico juntamente com o seu irmão e pretende que esta mudança seja uma forma de ter uma espécie de novo começo. Uma forma de conhecer pessoas novas e de mostrar apenas algumas partes da sua identidade, um esforço que ela pretende levar a avante, mas será que vai conseguir?!

Um livro extremamente curioso que aborda temas muito sérios e tão presentes e actuais. Se sentirem que precisam de ajuda, de conversar, se de alguma forma sentem que sofrem de algum tipo de violência, ou se consideram que têm comportamentos violentos e querem melhorar a vossa forma de ser e estar, procurem profissionais de psicologia que vos ajudem.

Parcerias de psicologia da Associação

Escrito nas Estrelas

Ana Ferreira

15 de Abril de 2024

Encontros que correm mal, relações a fingir e estrelas à mistura. Alexandria Bellefleur colocou tudo num liquidificador e escreveu Escrito nas Estrelas. Um romance curioso entre duas pessoas que começam com o “pé errado” e que cansadas de romances falhados decidem inventar um que funciona.

Depois de um encontro “às cegas” completamente desastroso que o irmão preparou, Darcy tenta evitar que o irmão lhe sugira outra pessoa, então opta por mentir, dizendo que foi um sucesso. Elle, uma popular astróloga das novas gerações, sonha em encontrar o verdadeiro amor, mas depois do desastre inicial, mais vale esquecer Darcy, pois esta é demasiado racional e cética. No entanto não quer voltar a ir à festa da família sozinha.

O acordo entre as duas é selado e tem prazo limitado, termina na véspera de ano novo, mas será que até lá elas vão conseguir suportar-se uma à outra?

Lost and Delirious

Ana Ferreira

09 de Abril de 2024

Adoro rever filmes que por vezes ficam esquecidos na memória. Hoje trago Lost and Delirious, um filme Canadiano que saiu em 2001 e que é baseado no livro de Susan Swan denominado “The Wives of Bath”.

Vinte e três anos depois e continuo a achar que é um marco em termos de filmes LGBTI+ para mim, talvez por estar inserido no rol dos primeiros filmes sobre a temática que vi. A história é contada por Mary (Mischa Barton) que entrou para um colégio interno frequentado apenas por pessoas conotadas como sendo do género feminino.

O quarto onde vai ficar durante o ano letivo é partilhado e Mary faz amizade com Tory (Jessica Paré) e Paulie (Piper Perabo), que tentam a todo o custo que Mary se integre no ambiente do colégio. Mas o filme é muito mais do que isso, fala-nos de sentimentos, da força da amizade, do silêncio das palavras que calamos, e das lutas internas que tantas vezes travamos.

FELIX para Sempre

Ana Ferreira

02 de Abril de 2024

“Felix Love nunca se apaixonou – e sim, ele está plenamente consciente da ironia do seu apelido significar amor.” Kacen Callender escreveu um livro doce e carregado de sentimentos e emoções. Vencedor do Stonewall Book Awards de 2021, FELIX para Sempre, conta a história de Felix, pessoa negra, queer e trans, que nunca se apaixonou e na flor da sua juventude isto transforma-se numa tragédia!

Mas nem tudo são cupidos avariados, porque o percurso escolar de Felix está recheado de percalços transfóbicos e a sua vida familiar não é um mar de rosas. Crescer e perceber a sua identidade num mundo cheio de preconceitos e estigmas, onde a empatia e o respeito são conceitos muitas vezes desconhecidos, pode tornar-se numa luta desmesurada. Dias depois de assinalarmos o Dia Internacional da Visibilidade Trans convido-vos a embrenharem-se nesta doce história escrita por Kacen.

Rapazes do Cemitério

Ana Ferreira

25 de Março de 2024

Quando misturamos fantasia, com cultura latina e questões LGBTI+, temos como resultado Rapazes do Cemitério. Aiden Thomas cozinhou este livro com muito amor e saiu uma receita soberba. Escrito em 2020, tornou-se o primeiro livro de uma pessoa trans latina e queer, que apresenta uma personagem trans, a ser colocado na lista dos mais vendidos do New York Times. Malta conservadora afastem-se!

A história centra-se em Yadriel, joven trans de origem latina, proveniente de uma comunidade de brujes! que tem uma meta, passar o ritual de passagem que o tornará um brujo! Mas está um ano atrasado, porque a sua família possui muitos conceitos pré concebidos, relativamente à sua identidade de género e à sua orientação sexual e acreditam que, isso será um entrave na passagem do seu ritual.

A história está super curiosa, num intricado de magia, sobrenatural, referências culturais, questões LGBTI+, preconceitos de todo o tipo, romance e mistério que a cada capítulo nos faz avançar para perceber mais sobre que novelo se criou à volta desta comunidade.

Holding the Man

Ana Ferreira

18 de Março de 2024

Das memórias de Timothy Conigrave nasceu a brilhante adaptação cinematográfica “Holding the Man”. O filme australiano estreou em 2015 e foi dirigido por Neil Armfield (Candy) e contou como actores principais com Ryan Corr, no papel de Timothy e Craig Stott que interpretou John.

Tim e John apaixonaram-se na década de 70 na Austrália, quando eram adolescentes. John era o capitão de rugby e Tim um aspirante a ator numa peça de Romeo e Julieta. O seu romance durou 15 anos e o filme retrata os diversos momentos, lutas, separações, discriminação, tentações, ciúmes e perdas. O filme está sublime, e a fotografia é qualquer coisa de extraordinária. Vale a pena conhecerem a vida deste homem a relação de ambos. Curiosamente as atuações secundárias são caras bem conhecidas do cinema.

O Canto de Aquiles

Ana Ferreira

12 de Março de 2024

Afinal o que é o calcanhar de Aquiles? Será este uma metáfora? Madeline Miller conta-nos a história de Aquiles sob um olhar surpreendente e curioso. A ação decorre durante a Era Heroica Grega e é uma releitura da Guerra de Troia contada da perspetiva de Pátroclo.

A história descreve-nos o relacionamento entre Pátroclo e Aquiles, desde o encontro inicial na sua infância, até as façanhas durante a Guerra de Troia, com foco na sua relação amorosa.

O Canto de Aquiles recebeu o Women’s Prize for Fiction em 2012 quando foi editado originalmente. Não sei se existe alguma edição em português anterior à que a Minotauro lançou em 2022, mas ainda só tropecei nesta.

The Night Watch

Ana Ferreira

04 de Março de 2024

Na semana em que se assinala o dia da Mulher, trazemos uma história escrita por uma mulher e que fala sobretudo de mulheres e das suas vivências e lutas. The Night Watch é uma adaptação ao cinema do livro de Sarah Waters com o mesmo nome lançado em 2006 e que decorre em Inglaterra durante e apos a II Guerra Mundial.

O livro foi premiado com o Man Booker Prize for Fiction (2006); Orange Prize for Fiction (2006) e o Lambda Literary Award (2007), por isso se tiverem curiosidade antes ou em vez de experimentarem o filme podem sempre tentar encontrar o livro para ler.

A história vai saltando entre as diversas personagens e as suas vivências e experiências durante e no pós guerra, o que fez com que elas estivessem ali naquele lugar e quais os fios invisíveis que as unem sem que elas saibam.

Uma última paragem

Ana Ferreira

28 de Fevereiro de 2024

Depois de Vermelho, Branco e Sangue Azul, Casey McQuiston surpreende-nos com um romance fora da caixa. One Last Stop, traduzido para português como “Uma última paragem”, chegou às nossas livrarias em Novembro de 2022 e poderia ser apenas um romance LGBTI+, não fosse o enredo que Casey criou.

Um metro em Nova Iorque é o lugar central desta história curiosa, e a paixão que entrelaça as duas personagens é muito doce, mas será que vai vencer os desafios que irão encontrar pela frente? Numa corrida contra o tempo August e Jane tentam perceber como foi que tudo começou e de que forma conseguirão tornar o impensável em realidade.

Um romance super fofo, curioso e um pouco sci-fi que vale a pena ler.

Do Revenge

Ana Ferreira

19 de Fevereiro de 2024

Do Revenge é uma produção Netflix de 2022, que ao mesmo tempo que satiriza a passagem pelo meio escolar foca questões sérias. Vamos encontrar Camila Mendes (Riverdale) no papel de Drea, super popular numa escola de elite mas onde ela é das poucas pessoas que estuda com bolsa, enquanto o resto são descendentes de famílias com bastantes poses financeiras.

Ethan Lewis (Euphoria) é Max, o namorado de Drea, proveniente de uma família abastada, dirigente associativo e o rapaz mais popular da escola, e o namoro vai bem até que chegam as férias de verão e tudo desaba. É então que surge Maya Thurman Hawke (Stranger Things – e para minha surpresa a filha de Uma Thurman, onde é que eu andava até agora?) que interpreta Eleanor, proveniente de outra escola e que irá frequentar a mesma escola que Drea no próximo ano escolar. Mas é claro a história ainda está só a começar…

Terceiro Género

Ana Ferreira

12 de Fevereiro de 2024

Para muitas pessoas a existência de pessoas que se identifiquem como pessoas Não Binárias ainda é algo de difícil compreensão. Em Portugal o principal documento de identificação separa as pessoas por masculino e feminino. Afinal o que é o género?

Será que a Lei se esconde atrás de definições ambíguas para definir aquilo que apenas compete a cada pessoa definir? Estaremos a misturar sexo e género? E será assim tão complicado inserirmos um terceiro género na nossa legislação? E porque tem este de ser atribuído à nascença?

Este livro é a dissertação de mestrado em direito de Mariana Rodrigues e levanta questões bastante pertinentes e interessantes sobre a possibilidade do reconhecimento legal do “terceiro género” em Portugal.

In From The Side

Ana Ferreira

05 de Fevereiro de 2024

In from the Side, leva-nos em viagem pelo mundo do rugby, numa equipa constituída por jogadores assumidamente homossexuais. O filme saiu em 2022 e conta a história de um envolvimento entre dois jogadores do clube, um da equipa A e outro da equipa B.

Não vou entrar em pormenores dos jogos, até porque, passados tantos anos e uma tarde de treino, ainda não percebi as regras sinceramente, apesar de existir um campo de Rugby na minha localidade de origem e tudo.

Mark e Warren envolvem-se depois de uma festa após um jogo, a trama parece simples mas é ai que as coisas se complicam, pois as vidas de ambos têm outras implicações e a sua relação pode por em causa a estabilidade da equipa.

Elogio da Homossexualidade

Ana Ferreira

29 de Janeiro de 2024

E se de repente a Heterossexualidade deixasse de existir? E se ser heterossexual for uma orientação sexual em vias de extinção? Vamos escrutinar as vantagens de ser homossexual, pela visão de Luís Alegre.

Escrito em 2017 ainda à luz da transexualidade como doença pela OMS, ainda na escuridão de imensas leis, há seis anos, diríamos até desactualizado em termos legislativo em alguns aspectos e no entanto com tantos retrocessos que vamos observando cada vez mais nos parece que infelizmente nada se vai desactualizar.

São cerca de 230 páginas que viajam numa corda bamba entre a sátira e a realidade de mundos paralelos, com uma visão fortemente masculininazada, não posso deixa de notar, mas real de um mundo de tabus, frases não ditas, violências caladas, agressões consentidas e preconceitos generalizados, onde a norma tem dois pesos e duas medidas.

Pray Away

Ana Ferreira

22 de Janeiro de 2024

Pray Away, é um documentário que não vão querer perder. Saiu em 2021 e é uma visão sobre os movimentos anti LGBTI+ e as chamadas “terapias de conversão”, na óptica de ex-líderes e sobreviventes nos EUA.

Os discursos e as manobras para iludir as pessoas são avassaladoras e os danos que provocam na população LGBTI+ têm consequências devastadoras, levando muitas vezes ao suicídio.

A Exodus Global Alliance de que vão ouvir falar no documentário encerrou em 2013, mas a partir dela surgiram outros movimentos, tais como, a Restored Hope Network, fundada pela ex mulher de um dos fundadores da Exodus e supostamente ex Lésbica.

Deixo também um artigo de 2020 que encontrei na minha pesquisa que considerei pertinente partilhar, para quem tiver curiosidade. Ler mais!

Scroll to Top